terça-feira, 8 de janeiro de 2013

Idosa deixa 25 gatos de Herança

Por Kariny Sacht (Sou Ninguém De Importância)


Nada de dinheiro ou propriedades. O que uma idosa de Marília, a 443 km de São Paulo, deixou para a melhor amiga como herança foi nada mais, nada menos que 25 gatos. Marina Bernardo morreu aos 82 anos em 26 de dezembro, vítima de um acidente vascular cerebral (AVC).
Por saber que a melhor amiga também gostava de gatos, ela manifestava em vida o desejo de que Deuci Sandrini Maciel Mesquita, 68 anos, cuidasse dos felinos caso ela morresse.
"Eu conhecia a Marina há mais de 30 anos. Ela morava a duas quadras da minha casa no bairro Polon. Como ela gostava de gatos e eu também, começamos a conversar. Daí surgiu a amizade", explica Deuci.
Nessa época, a idosa, que havia acabado de chegar à cidade vinda da capital paulista, tinha apenas quatro animais. De acordo com Deuci, a mulher era conhecida na vizinhança pelo carinho e cuidado com os bichanos, por isso muita gente abandonava caixas com filhotes na porta da casa de dona Marina.
Há dois anos, quando adoeceu, Marina pediu para que a amiga ajudasse a cuidar dos bichos, já que os irmãos dela não se interessavam. Por ser sozinha, pouco antes de morrer e, com a saúde bastante debilitada, a idosa foi para a casa de uma irmã e deixou os gatos sob a responsabilidade de Deuci.
"Como ela não tinha ninguém que pudesse cuidar dos gatos, me ofereci", explica. O carinho que ela sente pelos bichos é tão grande que muitos são tratados por nomes como Théo, Nina, Mel, Mení, Gina, entre outros.
Deuci Mesquita trabalha como artista plástica e já leiloou dois quadros de sua autoria para arrecadar recursos para manutenção da casa onde os animais estão e que era onde a amiga vivia. Os quadros foram vendidos a R$ 700 e o dinheiro serviu para que uma tela de arame fosse colocada sobre o quintal, impedindo que os gatos fugissem ou fossem para as casas dos vizinhos. Uma veterinária amiga da família ajuda a cuidar dos felinos, que deverão ser doados.
"A casa onde a Marina morava era dela e de um irmão e, como ela não tinha filhos, ele disse que vai vender. Não tenho condições de ficar com todos eles, por isso alguns eu vou doar. Estou desesperada porque aqui em Marília não tem um lugar que eu possa deixá-los (gatil)", revela a artista plástica, que já tinha cinco gatos em casa.
"Mas só vou doar para quem realmente gostar de animais, pois não quero que eles sejam maltratados. Prometi para a Marina que iria cuidar bem deles", completa. As despesas mensais com alimentação dos bichos giram em torno de R$ 300.