quinta-feira, 23 de agosto de 2012

Por que os gatos ronronam?

Por Kariny Sacht 


Quem tem gato conhece o som agradável que esses animais normalmente produzem quando recebem um carinho, ou estão satisfeitos, ou até quando estão comendo.
Estamos falando do ronronado, som tão conhecido quanto misterioso. Embora os estudiosos de felinos tenham se debruçado sobre a questão há bastante tempo, ainda não sabemos muito sobre tal comportamento.

Ronronando de emoção

A maior parte do que sabemos sobre o ronronado vem da observação dos felinos por parte dos seus donos. Se você tem um gato, você sabe como “fazê-lo ronronar”: fazendo um cafuné, situação infalível para provocar ronronados. O resultado disso é que a explicação mais típica para o ronronado é que se trata de uma expressão de felicidade e contentamento.
Mas não é só nestas ocasiões que os gatos ronronam. Eles também o fazem quando estão sob pressão, como durante uma visita ao veterinário, ou quando estão se recuperando de um ferimento. Aparentemente, nem todo gato que está ronronando está feliz ou contente com sua situação. 
Fica claro que o ronronar do gato serve para várias coisas. O estudioso do comportamento dos animais, Paul Leyhausen, que estudou os gatos por várias décadas, sugeriu que o ronronar é uma forma de comunicação dos gatos, que eles usam para sinalizar a outros que não pretendem brigar. E um estudo recente apontou que os gatos usam um tipo especial de ronronado quando querem que os humanos os alimentem.


Gatos ronronadores e gatos rugidores

Embora não saibamos direitinho como o gato ronrona, alguns mecanismos do ronronar já foram decifrados. Por exemplo, o gato é capaz de ronronar tanto ao exalar quanto ao inalar ar. O linguista sueco Robert Eklund, fascinado pelos sons de animais, gravou ronronados de vários tipos de gatos, e notou que o som do ronronado varia entre 20,94 e 27,21 Hz quando o gato exala, e 23,0 e 26,09 Hz quando ele inala, além de produzir fortes ondas harmônicas.
Só que nem todos os felinos conseguem ronronar. Leões e tigres não ronronam. Chitas ronronam. Desta forma, dá para dividir os gatos em dois grupos: os que ronronam e os que rugem, e esta diferença talvez seja anatômica.
Qual diferença anatômica? Existem muitas, mas ninguém sabe qual é a responsável por ronronar ou rugir. Não existe um “órgão do ronronado” ou alguma parte especializada na garganta dos gatos que seja responsável pelo ronronar. Uma sugestão é que os músculos da laringe contraem e dilatam as cordas vocais dos gatos, fazendo-os ronronar. 

Hipótese da cura

Elizabeth von Muggenthaler, pesquisadora de bioacústica no Fauna Communications, sugeriu que os gatos ronronam para se curar. Segundo ela, frequências entre 20 e 140 Hz são terapêuticas para o crescimento de ossos ou músculos, cura de fraturas ou feridas, alívio de dor, redução de inchaços, reparo de tendões, mobilidade de juntas e alívio da dispneia.
Analisando a gravação do ronronado de chita, puma, serval, ocelote e gato doméstico, a equipe da pesquisadora descobriu que as frequências do ronronado estão todas na faixa que favorece o crescimento ósseo.
Esta hipótese poderia explicar os benefícios evolutivos do ronronado, mas ainda é apenas uma hipótese, pois não há evidências sólidas que os ossos dos gatos se soldam mais rápido por causa do ronronar.
E nós ficamos assim, então. Sabemos quando o gato ronrona, e como se parece o ronronar. Ainda não sabemos bem por que os gatos ronronam e como eles ronronam. Acho que os donos de gatos preferem assim. Melhor achar que eles estão ronronando de felicidade, do que achar que estão tentando se consolar de tanto que damos palmadinhas desajeitadas em suas cabeças